Já fui mordida por cachorro

Natal de 2007, minha mãe vinha falando há tempos que o Bingo estava com as unhas longas pq não tinha onde gastar. Como ele é de temperamento forte, levar no pet shop para cortar, só se fosse sedado.

Aí tive a brilhante idéia de comprar o alicate , e cortar eu mesma. Que melhor ocasião do que a véspera do natal, já que ia mesmo dormir lá. Mas como ser humano e nascida no signo de touro do zodíaco, decidi teimar e tentar sem colocar a fucinheira.

Entrei no territorio dele, brinquei um pouco, fiz carinho e tudo estava indo tão bem, que fiquei confiante e iniciei o processo, achei que assim ele ficaria mais tranquilo e amigável.

Comecei pela pata frontal direita, a cada unha que cortava falava com ele, elogiando a paciência e tudo mais, e foi tudo bem nas patas da frente.

Nessa hora lembrei que ele não gosta que ninguém mexa na sua traseira, até pensei que seria hora da fucinheira, mas resolvi arriscar e ver como ele reagiria.

Enfim, paguei para ver e vi…cortei a pimeira unha e tudo bem, cortei a segunda e ok, pensei legal ele vai deixar…quando fui pra 3a. Ele avançou pro meu rosto e me mordeu.

Lembro de ter segurado a boca dele e ele me soltou.

Nessa, meu pai entrou correndo, mas ele já tinha se afastado. Sai com a mão no rosto e corri no banheiro para lavar e ver o estrago.

Minha mãe veio me acudir, olhou e disse: vai precisar de ponto, vamos pro pronto socorro. E eu protestei e pus pé firme que não era uma boa idéia, que ia ter plantonista que só ia fazer mais estrago (já teve dois casos na família de atendimento em plantão só piorar a situação).

Me enchi de gelo e disse que só ia pra médico se não parasse de sangrar, e não sei se foi o gelo, mas não sentia dor. Depois de mais de uma hora que eu fui começar a chorar, minha mãe achou que eu tava com dor, mas acho que a adrenalina tinha era baixado e aí que caiu a ficha do ocorrido e da merda que poderia ter dado.

Com o histórico do cão, o porte e a força que ele tem, se ele quisesse teria arrancado meu maxilar. Ainda acho que ele só queria que eu parasse, que quis deixar bem claro, e não a intenção de me machucar feio.

Pois acreditem, ele poderia ter feito um estrago imenso. Muitos me falaram: esse cachorro é do mal, deveria matar ele, cão odioso, etc.

Mas sinceramente, EU fui burra, e como sempre a culpa é do ser humano, nó invadimos os espaços dos animais e reclamamos que eles reagem.

Eu conhecia o histórico do cão, várias vezes pensei em por a fucinheira e eu decidi arriscar, não acho justo simplesmente matar (alguns preferem o termo sacrificar) um animal que só estava reagindo conforme a sua natureza.

Canso de ouvir casos, principalmente fora do país, que sacrificam o animal após ataques a humanos, e me pergunto: por que esse animal não passou por uma avaliação? Todos os fatores foram levados em conta? Analisaram a cena do “crime”?

É impressionante como seres humanos, mesmo pegos em flagrante é considerado inocente até o fim do julgamento. E os mesmos seres humanos, simplesmente condenam uma outra espécie só pelo pré-conceito de que são violentos ou perigosos, e que por isso merece “pena de morte”.

Por isso digo e repito: QUANTO MAIS CONHEÇO O SER HUMANO, MAIS AMO OS ANIMAIS.

P.S.: o cão está muito vivo, com quase 16 anos, demorei um tempo para me aproximar, mas hoje em dia, ele me lambe no rosto, sem ressentimentos (que aliás é um sentimento puramente humano).

This entry was posted in Animais, Opinião, Pessoal and tagged , . Bookmark the permalink.

2 Responses to Já fui mordida por cachorro

  1. Daniel says:

    As vezes até mesmo você tem uma idéia ruim… Se eu estivesse lá, a faca do Chester tinha ido parar nele kkkkkk

  2. Lelei says:

    Poxa, e cicatrizou direitinho? Deve ter sido um susto enorme mesmo! Mas olha sempre tive experiências boas com pronto-socorro, mas entendo seu medo também…

    E conseguiu cortar as unhas dele de novo? :) De qto em qto tempo precisa?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *